Buscar

#ocupateuespaço #tupode


ODS 4: Educação de Qualidade


É preciso o entendimento das necessidades e demandas, bem como o estabelecimento de pactos com as partes interessadas, em especial os clientes, suas inter-relações com as estratégias e com os processos, em uma perspectiva de curto e longo prazos. Sem isso, perde-se o foco do negócio.


Com o objetivo de alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas, a primeira versão da prática aconteceu em 2014.


Contexto!

Como o Senac Camaquã atua essencialmente na área da beleza, identificamos que a grande maioria de alunos que se matriculam nestes cursos são mulheres. Através da observação, acompanhamento e entrevistas, verificou-se que muitas delas não recebiam apoio de seus familiares e nem tinham condições de empreender na profissão, buscando sub-empregos para garantir seu sustento e de seus filhos, mesmo após a conclusão do curso.


Em muitos casos, até mesmo o responsável financeiro pela matricula eram amigas já formadas, tal a dificuldade de conseguir apoio para conquistar a tão sonhada independência financeira. Este é um problema que, geralmente, está muito mais relacionado à questão de gênero do que à condição social, pois permitir que a mulher empreenda e/ou trabalhe fora, promove – por vezes, a sua saída de casa e libertação de relacionamentos abusivos.


Porém, a conclusão do curso é um dos fatores de apoio para este tipo de tomada de decisão. Acompanhando as alunas, verificou-se que havia a necessidade de EMPODERÁ-LAS, não somente quanto á profissão, mas também, quanto ao próprio gênero, capacidades e comportamentos.


O nosso desafio estava posto: Aproximar as alunas de ferramentas que possibilitassem seu empoderamento, diminuindo assim, a desigualdade de gêneros e permitindo que estas assumissem o papel de protagonistas da sua própria vida.


Planejamento

Desde 2013, realizado logo após a finalização do POP, os Comitês por Áreas (Prática premiada pelo reconhecimento excelência em 2019) se reúnem e de pose das datas das turmas realizam a montagem das atividades anuais, considerando os seguintes objetivos: apoiar a equipe de vendas na prospecção de clientes, organizar suas metodologias integradas para sala de aula e, criar ações de fortalecimento do conhecimento adquirido em sala de aula, tornando o aluno protagonista.


Partindo desta premissa, o Comitê da Beleza, criou em 2014 a Feira da Beleza, com o objetivo de colocar na vitrine as alunas dos cursos desta área, para que estas pudessem apresentar seu trabalho ao mercado e ainda, como forma de trazer ao seu conhecimento, mais informações do setor garantindo uma oportunidade de networking.


Porém, com o passar do tempo, identificou-se que o problema da falta de apoio – tanto emocional como financeiro – estava mais relacionado ao gênero do que, muitas vezes, à condição social da aluna. Logo, a ação Feira, que este ano completou 8 anos, passou a ser apenas mais uma atividade da Prática #Ocupateuespaço, que hoje é composta por várias realizações da escola, capitaneadas pelo Comitê da Beleza.


Esta prática está alinhada, também ao Fundamento Desenvolvimento Sustentável, por que, além de entender as necessidades das partes interessadas e agir para atende-las além do esperado, neste caso os clientes (COMPROMISSO COM AS PARTES INTERESSADAS), também corresponde ao compromisso da organização em responder pelos impactos de suas decisões e atividades, na sociedade e no meio ambiente, e de contribuir para a melhoria das condições de vida por meio de um comportamento ético e transparente.


Metodologia:

A Prática acontece de acordo com o seguinte fluxo de atividades:

1) Criação de um cronograma de atividades anual compreendendo ações que visam empoderar mulheres de todas as idades, criado pelos Comitês e lançados no Outlook;

2) Formação de parcerias com instituições que promovam acesso ao mercado de trabalho, geração de renda, informações quanto à saúde feminina, entre outros;

3) Organização de seminários, palestras e mesas redondas relativos ao tema, fora da carga horária de sala de aula;

4) Levantamento, junto às turmas, quanto às dificuldades para a inserção no mercado de trabalho, considerando a necessidade de desenvolvimento técnico, apoio financeiro, de infraestrutura, entre outros;

5) Estímulo à criação de coletivos femininos para o empreendedorismo considerando: compras conjuntas, cooperativa de produção, composição de sociedades e/ou parcerias, venda cooperada, entre outros;

6) Apoio à formalização do MEI das alunas;

7) Apresentação e estimulo ao ingresso nos diversos coletivos e grupos de trabalho de apoio às mulheres da região (SindiMulher Costa Doce, Coletivo Ser Mulher, Maria Conecta, Rede de Empreendedoras de SLS, Mulher Coopera, etc)


Objetivos:

- Promover o reconhecimento da importância da atuação e realização de mulheres e por mulheres na nossa sociedade.

- Empoderar mulheres através do seu protagonismo nas ações oriundas da escola;

- Desenvolver talentos feminino para que estes desenvolvam outros talentos femininos;

- Criar grupo de mulheres com foco no desenvolvimento pessoal, emocional e de negócios

Metas

- 100% das alunas participando das ações realizadas pelos Comitês

- 100% de execução das ações previstas no planejamento anual

- 1 conselheira na RAM

- criação de um grupo feminino ao ano

- 50% do corpo docente oriundo de ex alunas, na área da beleza

- adesão aos coletivos

- cadastro no MEI


A Prática foi implantada após ser discutida no Comitê da Beleza, como necessária para o empoderamento das alunas, sendo que o Calendário Anual é lançado no Outlook pelo coordenador do comitê, até a primeira quinzena de Dezembro. Todos os envolvidos recebem notificação, inclusive considerando cada uma das etapas das atividades a serem realizadas.


O Multiplicador de Marketing e o Coordenador do Comitê relacionado à atividade coordenam sua ação, definindo os envolvidos no processo e estimulando a participação das turmas e, para atividades extra curso, os demais professores para que sirvam de ponte aos ex-alunos, quanto à divulgação e envolvimento dos mesmos nas atividades.


De acordo com a atividade, podem ou não ser geradas inscrições via site ou apenas encaminhado convite via os grupos de whats mantidos pelos alunos e/ou gerenciados pelos grupos formados nos últimos anos.


Ao final de cada evento, o responsável por sua realização executa o PDCA para avaliar as necessidades de ajuste e avaliar os resultados alcançados, sendo revisado para o próximo ano.


As ações são registradas pelo próprio comitê.

Os objetivos e metas são monitorados pelo comitê e atualizados anualmente, de acordo com o interesse dos grupos de trabalho, considerando que cada grupo (coletivo feminino) que se forma ganha vida fora da Escola e permanece atuante considerando as necessidades individuais e do próprio coletivo.


1) Após a realização das primeiras edições da Feira da Beleza, observou-se que as alunas matriculadas em outros cursos, além dos da área da beleza, também interessavam-se pelos assuntos relativos ao Feminino. Logo, as ações foram estendidas para todas as ALUNAS, independente da área do curso;

2) É importante o acompanhamento no momento da formação dos grupos, mas que estes precisam de autonomia para ganharem força e se perpetuarem. Aqueles que dependem da Escola ou do professor para seguir, não permanecem ativos. Ferramentar as profissionais e promover a autonomia é sempre positivo e via de regra, suficiente para que se mantenham no mercado de trabalho;

3) Convidar todos os alunos para todas as ações é fundamental para gerarmos igualdade. Homens e mulheres matriculados são convidados à participar de todas as iniciativas: palestras sobre a Lei Maria da Penha, Cases de Sucesso de Mulheres Empreendedoras, Mesa Redonda orientada pelo SindiMulher Costa Doce, entre outras atividades tem recebido cada vez mais a presença de alunos homens, o que certamente diminui o preconceito e a desigualdade entre os gêneros;

4) Engajar os alunos empreendedores nas ações do Sindilojas Costa Doce e do SindiMulher Costa Doce (no Mulher Conecta, da ACCITA em Tapes e do grupo de Mulheres Empreendedoras, da ACI CDL SLS) dá a eles o senso de coletividade e estimula novas lideranças para o setor. Por isto, é importante seguir estimulando a criação dos MEI e o credenciamento no cartão Parceiro e/ou Sesc Senac.


Resultados:

1) Tornou a escola mais acessível e acolhedora para todos os alunos, independente do gênero, tratando a todos de forma igualitária.

2) Treinou os colaboradores para identificar alunas em situação de risco, fazendo com que todos tenham um olhar diferenciado para estas situações e uma escuta ativa para casos de abuso e necessidade de acolhida especial;

3) Comprometeu os colaboradores à valorizarem as ações oriundas dos alunos;

4) Engajou os professores na rotina de profissionalização dos alunos, extraclasse, qualificando as aulas, alinhando-as às suas reais necessidades;

5) Fortaleceu o vínculo da Escola com as diversas instituições que apoiam a temática feminina / feminista, promovendo sua imagem e tornando-a referência quanto à causa;

6) Legitimou a realização de diversos eventos dentro do calendário anual da escola, tornando estas atividades preferenciais no calendário do Município;

7) Fez com que o Senac obtivesse cadeira cativa no Conselho Municipal de Direitos das Mulheres, sendo que a Presidência deste conselho é ocupada pela diretora da Escola na gestão 2021 2023;






0 visualização0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo